Notices

InBev trio prepares occupation of properties in São Paulo – Brasil Econômico

Brasil Econômico – Segunda-feira, 9 de janeiro, 2012

Michele Loureiro

Tudo o que eles tocam vira ouro. Os empresários Marcel Telles, Carlos Alberto Sicupira e Jorge Paulo Lemann, mais conhecidos pela criação da Ambev e por liderar empresas como Lojas Americanas, ALL, Burger King e Budweiser, querem fazer brilhar mais uma empresa apadrinhada pelo trio. ASão Carlos Empreendimentos, talvez a mais tímida companhia onde o grupo tem participação, volta sua atenção para o cenário paulista para ampliar seu valor de mercado neste ano.

A companhia especializada em venda e locação de imóveis comerciais nasceu para administrar a expansão das Lojas Americanas no fim da década de 1980. Desde então, passou por muitas mudanças: abriu capital na Bolsa deValores de São Paulo e tornou-se uma das principais agentes negociadoras de imóveis corporativos no eixo Rio-São Paulo. O valor demercado da companhia em 2011 era R$ 3 bilhões com uma carteira de clientes com nomes de peso como Petrobras, Repsol Odebrecht, Santander e SulAmérica.

O ano passado foi a vez do Rio de Janeiro. Depois de investir R$ 183 milhões em aquisições de imóveis comerciaisemsolo carioca, agora, a São Carlos Empreendimentos mira o outro lado da ponte aérea e direciona a atenção para São Paulo. “Sem deixar o Rio de lado, estamos avaliando boas oportunidadesem SãoPaulo”, disse o diretor superintendente da companhia, Felipe Góes.

A intenção de reforçar os alicerces na maior cidade do país surge depois de a empresa ter feito duas aquisições em solos cariocas e fixar raízes por lá. No ano passado a São Carlos Empreendimentos comprou um prédio da empresa de telecomunicações Oi por R$ 97 milhões. O espaço vai precisar de investimento de R$ 130 milhões para reformas, que devem ser concluídas em 2014. Como a companhia tem clientes de grande porte, é provável que o imóvel seja locado para um único cliente.

A outra empreitada da empresa foi na área central do Rio de Janeiro, que concentra 80% dos prédios corporativos do estado. A compra do Edifício Generali, por R$ 86 milhões, vai garantir a ampliação imediata da receita de locação de imóveis. Serão necessários investimentos de R$ 7 milhões no imóvel para que o local atenda os padrões da São Carlos. O prédio tem 11 milmetros quadrados de área e já está 100% locado.

Tarifas equilibradas

Sem revelar projeções detalhadas para este ano, a São Carlos espera um aumento de receita e prevê uma estabilização dos preços de imóveis comerciais. “O volume de lançamentos de edifícios corporativos previstos para 2012 deve atender a demanda promovendo um equilíbrio nos preços”, avalia Góes.

Para São Paulo, a previsão é que sejam lançados cerca de 400 mil metros quadrados em empreendimentos comerciais até 2013. No Rio, a expectativa é de 200 mil metros quadrados novos para áreas comerciais até o ano que vem. “Estes espaços são necessários para equilibrar a demanda, que está reprimida. A São Carlos, por exemplo, tem taxa de vacância de apenas 1%”, diz Góes. O executivo, no entanto, não acredita na queda imediata do valor do metro quadrado. “Isso só deve acontecer depois de 2014”, diz.

Histórico

A São Carlos Empreendimentos é uma das empresas mais antigas com participação do trio Marcel Telles, Carlos Alberto Sicupira e Jorge Paulo Lemann — o fundo 3G — e nasceu em 1989 como controlada da Lojas Americanas. A ideia inicial era ter uma companhia voltada para o desenvolvimento e administração de shoppings que apoiasse a expansão da rede Lojas Americanas para o interior do País. Em 1998 a São Carlos recebeu, na forma de um aumento de capital, a totalidade dos ativos imobiliários das Lojas Americanas. No ano seguinte os acionistas deliberaram pela cisão parcial da empresa, separando a São Carlos e os ativos imobiliários do resto do grupo. Em dezembro de 2006, a São Carlos aderiu ao Novo Mercado de governança corporativa da Bovespa, realizou uma oferta pública de ações e captou R$ 350 milhões.

Desde a cisão parcial, a São Carlos adquiriu e vendeu imóveis emudou o perfil do portfólio: atualmente a empresa conta com 51 imóveis comerciais, principalmente edifícios de escritório e lojas de varejo: 88% da receita da companhia vem do aluguel de imóveis e o maior locatário, Lojas Americanas, representa cerca de 10% do faturamento anual.